domingo, 31 de janeiro de 2016

Campeonato da Cidade 1945

Carlos Henrique

CAMPEONATO DA CIDADE 1945

Campanha do Cruzeiro
Turno
15/04 - Cruzeiro 1 x 0 Siderúrgica (Lourdes)
25/04 - Cruzeiro 4 x 0 Sete (Lourdes)
05/05 - Cruzeiro 3 x 3 Villa Nova (Alameda)
12/05 - Cruzeiro 1 x 1 América (Lourdes)
20/05 - Cruzeiro 4 x 2 Atlético (Alameda)
26/05 - Cruzeiro 4 x 1 Uberaba (Alameda)
Turno
22/07 - Cruzeiro 5 x 0 Sete (Santa Tereza)
29/07 - Cruzeiro 0 x 1 Villa Nova (Bonfim)
05/08 - Cruzeiro 4 x 1 Siderúrgica
12/08 - Cruzeiro 3 x 3 Uberaba (Boulanger Pucci)
26/08 - Cruzeiro 3 x 2 América
16/09 - Cruzeiro 3 x 2 Atlético (Lourdes)
Returno
23/09 - Cruzeiro 3 x 1 Villa Nova
14/10 - Cruzeiro 3 x 0 Uberaba
28/10 - Cruzeiro 0 x 3 Atlético
04/11 - Cruzeiro 3 x 2 Siderúrgica (Praia do Ó)
18/11 - Cruzeiro 1 x 0 América (Alameda)
22/11 - Cruzeiro 5 x 0 Sete

Classificação: 1º Cruzeiro; 2º Villa Nova; 3º America; 4º Atletico; 5º Uberaba e Sete; 7º Siderúrgica
Artilheiros Máximos: Niginho (Cruzeiro) e Lucas (Cam) com 14 gols
Campeão do Campeonato de Aspirantes: America
Campeão do Torneio Início: America
Campeão Amador (DFA): Santa Tereza

Fórmula de disputa:
Três turnos, sendo turno, returno e um turno neutro com todos os jogos disputados em Belo Horizonte em estádios neutros. Classificação definida no sistema de pontos corridos, sem acesso e rebaixamento, pois não havia Série B.

Critérios de participação:
Clubes profissionais filiados a FMF e inscritos no Campeonato. O Sete disputou o Campeonato como agregado

Sistema 2-3-5:
Geraldo II, Azevedo e Bituca; Bibi (Adelino), Juca (Hemetério), Juvenal; Nogueirinha, Selado, Niginho, Ismael e Braguinha. Técnico: Chico Trindade

Quem jogou:
Ismael 17
Geraldo II e Selado 16
Bibi, Braguinha, Juvenal e Nogueirinha 15
Bituca e Niginho 14
Azevedo 13
Juca 10
Hemetério 7
Adelino 5
Alcides e Caieirinha 4
Levi 3
Lazzarotti 2
Geraldo e Prado 1

Quem marcou gols:
Ismael e Niginho 13
Braguinha 7
Nogueirinha 6
Selado 4
Levi 3
Hemetério e Juca 1
Gol contra: Eduardo (Villa Nova)

Campeão na Praia, de novo!
Pelo terceiro ano consecutivo, o Cruzeiro sagrou-se campeão com uma vitória sobre o time da belgo mineira, o Siderúrgica. E, pela segunda vez, o título foi conquistado no estádio da Praia do Ó. A primeira foi em 1943.

Uberaba incluído
A inscrição do Uberaba foi aceita no Campeonato. A entrada do time na competição servia também para melhorar o intercâmbio entre os times da capital e do triângulo mineiro. Os dirigentes do triângulo discordavam do tratamento de campeonato mineiro que a imprensa da capital dava ao campeonato de Belo Horizonte. "A população do interior sequer sabe que existe Seleção Mineira", esclareciam. (Diario da Tarde, 19/10/1944 – Pág. 4)


Jogo dos Campeões
18/12/1945 - Cruzeiro 1 x 0 Seleção do Campeonato
A partir de 1945, o time campeão disputaria um amistoso contra a seleção do campeonato com a renda revertida para os jogadores campeões.

Nascia o Independência
A prefeitura lançava o projeto de construção de um estádio municipal para os jogos da Copa do Mundo, em Belo Horizonte (Diario da Tarde, 20/03/1945).

Jogos no Verão
Por determinação da FMF os jogos de futebol profissional passaram a ser proibidos, entre os dias 1º de janeiro e 15 de fevereiro (Diario da Tarde, 03/04/1945).

Criação do STJD
O Superior Tribunal de Justiça Desportiva-STJD é criado, em 12 de dezembro, de acordo com o Código Brasileiro de Futebol.

Campeonato da Cidade 1944

Carlos Henrique

CAMPEONATO DA CIDADE 1944

Campanha do Cruzeiro
Turno
09/04 - Cruzeiro 1 x 0 Villa Nova
16/04 - Cruzeiro 1 x 1 Atlético (Lourdes)
30/04 - Cruzeiro 0 x 0 América (Alameda)
07/05 - Cruzeiro 1 x 1 Siderúrgica
21/05 - Cruzeiro 3 x 1 Sete (Santa Tereza)
Returno
28/05 - Cruzeiro 3 x 3 Villa Nova (Bonfim)
11/06 - Cruzeiro 2 x 1 Atlético
09/07 - Cruzeiro 2 x 1 Siderúrgica (Praia do Ó)
23/07 - Cruzeiro 0 x 0 Sete
06/08 - Cruzeiro 5 x 1 América
Turno Neutro
26/08 - Cruzeiro 3 x 2 Sete (Lourdes)
26/12 - Cruzeiro 5 x 2 Villa Nova (Lourdes)
30/12 - Cruzeiro 3 x 3 América (Lourdes)
21/01/1945 - Cruzeiro 2 x 1 Siderúrgica (Alameda)
28/01/1945 - Cruzeiro Wo x 0 atletico (Alameda)
*O tribunal de Penas da FMF mandou computar dois pontos para o Cruzeiro no empate em 3 a 3 contra o Villa Nova, no returno, por ter o time de Nova Lima abandonado o campo quando faltavam os 5 minutos restantes da partida. O atlético fez a entrega dos pontos ao Cruzeiro, em 28/01/1945

Classificação: 1º Cruzeiro; 2º atletico; 3º America; 4º Siderúrgica; 5º Sete; 6º Villa Nova
Artilheiro Máximo: Ceci (Villa Nova) e Baiano (Cam) com 11 gols
Campeão do Campeonato de Aspirantes:
Campeão do Torneio Início: Cruzeiro
Campeão Amador (DFA): Santa Tereza

Fórmula de disputa:
Três turnos, sendo turno, returno e um turno neutro com todos os jogos disputados em Belo Horizonte em estádios neutros. Classificação definida no sistema de pontos corridos, sem acesso e rebaixamento, pois não havia Série B.

Critérios de participação: 
Clubes profissionais filiados a FMF e inscritos no Campeonato. O Sete disputou o Campeonato como agregado

Sistema 2-3-5
Geraldo II, Gerson e Bituca; Bibi, Juca e Juvenal; Braguinha, Lazzarotti, Niginho, Ismael e Alcides. Técnicos: Bengala (Chico Trindade)

Quem jogou
Bibi, Geraldo II, Juca e Niginho 14
Alcides, Bituca e Ismael 13
Gerson e Juvenal 11
Lazzarotti 10
Braguinha 9
Azevedo e Selado 5
Caieirinha e Rizzo II 3
Nogueirinha e Remídio 1

Quem marcou gols
Braguinha 8
Alcides e Niginho 7
Ismael 4
Bibi, Gerson, Juca, Lazzarotti e Nogueirinha 1

Classificação por rendas: 1º América ($135.799,00); 2º Cruzeiro ($135.608,00); 3º Atlético ($126.635,00); 4º Siderúrgica ($38.000,00); 5º Villa Nova ($34.478,00); 6º Sete ($30.689,00)
Jogo de maior renda: 16/07 - America 1 x 0 atletico ($41.140,00) - Alameda
Jogo de menor renda: 07/05 - Sete 2 x 0 Villa Nova ($547,00) - Santa Tereza

Campeão Invicto na Alameda
Pela segunda vez, o Cruzeiro levantava um título no estádio do America. A primeira havia sido na decisão contra o atletico, em campo neutro, em 1940. A conquista de 1944 veio, pela segunda vez consecutiva, após uma vitória sobre o Siderúrgica. Este foi também o quarto título invicto do Cruzeiro: os outros foram em 1926, 1929, 1930

Paralisação do Campeonato
O Campeonato esteve paralisado entre 26 de agosto a 26 de dezembro por causa da disputa do Brasileiro de Seleções.

Controle dos gastos nos clubes
Uma circular do Conselho Nacional do Desporto determinava que clubes só poderiam ter 22 jogadores contratados; uma despesa máxima mensal do plantel de Cr$ 651.200,00 ou ordenado mensal máximo de Cr$ 800,00 e luvas de Cr$ 20 mil. As medidas iriam valer a partir de 1944 (Diario da Tarde, 02/12/1943)

Campeonato do Interior
Um congresso esportivo foi convocado para definir a disputa de um Campeonato do Interior, em 11/06/1944 (Diario da Tarde, 14/01/1944; Estado de Minas, 22/02/1944)

sábado, 30 de janeiro de 2016

Campeonato da Cidade 1943

Carlos Henrique

CAMPEONATO DA CIDADE 1943

Campanha do Cruzeiro
Turno
02/05 - Cruzeiro 2 x 1 Villa Nova (Bonfim)
30/05 - Cruzeiro 1 x 3 Atlético (Lourdes)
06/06 - Cruzeiro 4 x 0 Sete
13/06 - Cruzeiro 2 x 1 América (Alameda)
04/07 - Cruzeiro 2 x 2 Siderúrgica
Returno
08/08 - Cruzeiro 2 x 1 Sete (Santa Tereza)
22/08 - Cruzeiro 3 x 2 Villa Nova
12/09 - Cruzeiro 2 x 0 América
03/10 - Cruzeiro 1 x 0 Atlético
19/12 - Cruzeiro 5 x 1 Siderúrgica (Praia do Ó)

Classificação: 1º Cruzeiro; 2º atletico; 3º America; 4º Siderúrgica; 5º Villa Nova; 6º Sete
Artilheiro Máximo: Alcides (Cruzeiro) com 9 gols
Campeão do Campeonato de Aspirantes: Siderúrgica
Campeão do Torneio Início: Cruzeiro
Campeão Amador (DFA): Tremedal

Fórmula de disputa:
Turno e Returno. Classificação definida no sistema de pontos corridos, sem acesso e rebaixamento, pois não havia Série B.

Critérios de participação:
Clubes profissionais filiados a FMF e inscritos no Campeonato. O Sete disputou o Campeonato como agregado

Sistema 2-3-5
Geraldo II, Gerson e Azevedo; Adelino, Juca e Bituca (Caieirinha); Nogueirinha, Gabriche, Niginho (Rizzo II), Ismael e Alcides. Técnicos: Ninão

Quem jogou
Alcides, Geraldo II, Gerson e Ismael 10
Bituca e Juca 9
Adelino, Azevedo 8
Rizzo II 7
Gabriche e Niginho 6
Caieirinha e Nogueirinha 5
Selado e Zezé 3
Bibi 1

Quem marcou gols
Alcides 9
Ismael 6
Niginho 4
Gabriche 2
Nogueirinha, Rizzo II, Selado 1

Classificação por rendas: 1º Cruzeiro ($52.221,70); 2º Atlético ($33.983,50); 3º América ($31.726,80); 4º Sete ($ 18.800,40); 5º Villa Nova ($ 8.886,00); 6º Siderúrgica ($ 7.897,00)
Jogo de Maior Renda: Cruzeiro 1 x 0 Atlético (Cr$ 27.539,70)
Jogo de Menor Renda: Villa Nova 2 x 1 Sete (Cr$ 720,00)

Paralisação do Campeonato
Devido a disputa do Campeonato Brasileiro de Seleções, o Campeonato ficou paralisado entre 3 de outubro de 19 de dezembro.

Campeonato Juvenil
Foi instituído o Campeonato Juvenil dos Grandes Clubes, em 9 de outubro. Foi disputado por Cruzeiro, Atletico, America e Villa Nova. O Cruzeiro sagrou-se campeão.

Juiz de Fora no profissionalismo
Após 8 anos no amadorismo, Juiz de Fora readotou o profissionalismo em 15/10/1943.

Campeão na Praia
O Cruzeiro sagrou-se campeão, logo em seu primeiro ano pós Palestra Itália. Foi a primeira vez que o clube conquistou um título num jogo decisivo no interior. A conquista veio na última rodada com uma goleada sobre o Siderúrgica, no estádio da Praia do Ó, em Sabará.

Campeonato da Cidade 1942

Carlos Henrique

CAMPEONATO DA CIDADE 1942

Campanha do Cruzeiro
Turno
24/05 - Cruzeiro 7 x 2 Sete
14/06 - Cruzeiro 1 x 0 Siderúrgica
05/07 - Cruzeiro 1 x 1 América
19/07 - Cruzeiro 3 x 1 Villa Nova (Bonfim)
09/08 - Cruzeiro 0 x 2 Cam (Lourdes)
Returno
30/08 - Cruzeiro 3 x 0 Sete (Alameda)
13/09 - Cruzeiro 1 x 1 Siderúrgica (Praia do Ó)
27/09 - Cruzeiro 3 x 0 Villa Nova
04/10 - Cruzeiro 1 x 2 Cam
11/10 - Cruzeiro 1 x 0 América (Alameda)
*o Aeroporto abandonou o campeonato, após o turno e deixou o regime profissional em 26 de agosto. Os jogos do time da aeronáutica (Pampulha) foram anulados.

Classificação: 1º Cam (Campeão); 2º Cruzeiro; 3º Siderúrgica; 4º Sete; 5º America; 6º Villa Nova
Artilheiro Máximo: Tião (Cam) com 12 gols
Campeão do Campeonato de Aspirantes: Siderúrgica
Campeão do Torneio Início: Siderúrgica

Fórmula de disputa:
Turno e returno. Classificação definida no sistema de pontos corridos, sem acesso e rebaixamento, pois não havia Série B.

Critérios de participação:
Clubes profissionais filiados a FMF e inscritos no Campeonato. O Sete disputou o Campeonato como agregado

Sistema 2-3-5:
Geraldo II, Gérson e Azevedo; Fuinha, Juca e Caieirinha; Nogueirinha (Rizzo II), Orlando, Niginho, Ismael e Alcides. Técnico: Bengala

Quem jogou:
Azevedo, Gérson, Ismael, Juca, Niginho e Orlando 10
Caieirinha 9
Geraldo II 8
Alcides, Fuinha e Nogueirinha 7
Rizzo II 5
Rizzo 3
Rui 2
Souza e Zezé 1

Quem marcou gols:
Ismael, Niginho, Nogueirinha e Rizzo II 4
Alcides 3
Orlando 2

Novidades
De acordo com o os novos estatutos da Federação Mineira, passou a ser obrigatória a apresentação do certificado de reservista do exército dos jogadores. A CBD liberou a contratação de menores de 16 anos (Diario da Tarde, 03/07/1942). De acordo com o artigo 32, do decreto lei 3.199, do Conselho Nacional do Desporto, os clubes só poderiam escalar um jogador estrangeiro. Passou a ser exigido o diploma de educação física para os técnicos de futebol.

Protesto dos árbitros
Em 7 de agosto, os árbitros da FMF enviaram um pedido de demissão a direção da entidade. A medida foi em protesto contra a escolha de um árbitro carioca pelas diretorias de Atlético e Cruzeiro para o clássico do turno. Apenas Harry Leite e Geraldo Toledo não assinaram o documento.

O fim da era Palestra
Esta foi a última temporada do clube com o nome oficial de Palestra. Em janeiro de 1942, o clube alterou o nome Palestra Itália para Palestra Mineiro. O escudo na camisa passou a ter um P solitário em meio ao losango. No entanto, a imensa maioria dos associados, conselheiros e atletas exigiam o uso de um nome com identificação nacional e sem provincianismos. Assim, na assembleia geral, em 7 de outubro, ficou definido que o clube se chamaria Cruzeiro Esporte Clube em homenagem a constelação do Cruzeiro do Sul, que era um dos maiores símbolos da pátria brasileira presente na bandeira e hino nacionais e nas armas da república. O uniforme com a camisa e meias azuis com o calção foi uma clara referência a azurra italiana.

O clube ainda atuou como Palestra Mineiro e usou o uniforme palestrino, até janeiro de 1943. Isto porque os novos estatutos do clube levaram três meses para serem aprovados pela Federação Mineira. O nome Palestra Mineiro está presente em todas as atas das aprovações dos jogos divulgadas pela Federação Mineira, que foram publicadas pelos jornais até o final do Campeonato de 1942; O uso do uniforme palestrino pode ser verificado nas fotos dos jogos publicadas nos jornais até janeiro de 1943.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Campeonato da Cidade 1941

Carlos Henrique

CAMPEONATO DA CIDADE 1941

Campanha do Cruzeiro
Turno
11/05 - Cruzeiro 1 x 1 Villa Nova (Bonfim)
18/05 - Cruzeiro 9 x 3 Aeroporto
07/06 - Cruzeiro 0 x 3 Siderúrgica
22/06 - Cruzeiro 2 x 0 Sete (Lourdes)
06/07 - Cruzeiro 4 x 1 América
27/07 - Cruzeiro 1 x 2 Cam (Lourdes)
Returno
10/08 - Cruzeiro 4 x 0 Villa Nova
14/09 - Cruzeiro 7 x 0 Sete
21/09 - Cruzeiro 3 x 1 Aeroporto (Lourdes)
28/09 - Cruzeiro 4 x 3 America (Alameda)
12/10 - Cruzeiro 3 x 2 Siderúrgica (Praia do Ó)
19/10 - Cruzeiro 1 x 0 Cam
Turno Neutro
18/01/1942 - Cruzeiro 2 x 2 Siderúrgica (Lourdes)
01/02/1942 - Cruzeiro 0 x 1 Cam (Alameda)
08/02/1942 - Cruzeiro 1 x 4 America (Lourdes)

Classificação: 1º Cam (campeão); 2º Siderúrgica; 3º Cruzeiro; 4º America; 5º Villa Nova; 6º Sete; 7º Aeroporto
Artilheiro Máximo: Ceci (Siderúrgica) com 17 gols
Campeão do Campeonato de Aspirantes: Siderúrgica
Campeão do Torneio Início: Cruzeiro

Fórmula de disputa:
Três turnos, sendo turno, returno e um turno neutro com todos os jogos disputados em Belo Horizonte em estádios neutros. Classificação definida no sistema de pontos corridos, sem acesso e rebaixamento, pois não havia Série B.

Critérios de participação:
Clubes profissionais filiados a FMF e inscritos no Campeonato. O Sete disputou o Campeonato como agregado

Sistema 2-3-5
Geraldo II (Geraldo), Bituca e Bibi; Souza, Juca e Caieirinha; Nogueirinha, Nelson, Niginho, Carazo e Alcides. Técnico: Bengala

Quem jogou
Alcides, Bibi, Caieirinha, Carazo e Juca 12
Bituca e Souza 10
Niginho 9
Nogueirinha 8
Geraldo II e Nelson 7
Geraldo e Rizzo II 5
Azevedo e Cury 3
Zezé 2
Caieira, Nonô e Pimpão 1

Quem marcou gols
Alcides 14
Niginho 11
Nelson 4
Nogueirinha e Rizzo II 3
Carazo 2
Cury e Souza 1

Campeonato Paralisado
Em novembro, o campeonato foi paralisado para os preparativos da Seleção Mineira para a disputa do Campeonato Brasileiro de Seleções

Campeonato abreviado
Pelo terceiro ano consecutivo, o Campeonato foi abreviado, após uma assembleia em 10 de dezembro de 1941. O 3o turno passou a ser disputado apenas pelos quatro melhores colocados na tabela e, com isso, o Villa Nova, o Sete e o Aeroporto foram eliminados. Ficou acordado que o Sete e o Aeroporto fariam uma melhor de três (amistosos) nas preliminares das rodadas do 3º turno, enquanto o Villa Nova seria recompensado com amistosos contra os grandes da capital em Nova Lima.

Regulamentação federal dos esportes
Em 8 de março de 1941 foi implementada a regulamentação do futebol em todo o país. Uma das medidas foi a separação entre amadores e profissionais. Outra novidade foi a extinção dos impostos cobrados pelo município, em 1º de agosto. A regulamentação federal também solicitava auxilio do poder público aos esportes.

Criada a Federação Mineira de Futebol-FMF
A FAMAF passou a se chamar Federação Mineira de Futebol, em 9 de maio de 1941 (Diário da Tarde, 10/05/1941). A mudança fazia parte do processo de nacionalização das expressões esportivas promovida pelo Ministério da Educação (Diário da Tarde, 25/09/1941). Os novos estatutos da FMF foram publicados no Diario da Tarde, de 18/10/1941.

Mudanças no tempo regulamentar e na arbitragem
O decreto 3.199 determinou que fossem cumpridas as leis que regem o futebol profissional (normas da FIFA). Assim, tempo regulamentar dos jogos passou de 80 para 90 minutos. Passou a valer no futebol mineiro a partir de maio de 1941. Os árbitros passaram a ter apenas dois auxiliares. Os dois assistentes de linha de fundo foram extintos. As substituições foram proibidas, o que causou prejuízo ao espetáculo. Em muitos jogos, os atletas machucados deixavam o campo e a equipe ficava inferiorizada numericamente. No caso dos goleiros, quando eram expulsos, eram substituídos por jogadores de outro setor do time (Diario da Tarde, 7/8/1941)

Isenção de impostos
Os impostos corroíam 15% da renda bruta dos jogos. O artigo 40, do decreto da regulamentação e oficialização dos esportes, do CND, isentou as exibições esportivas da cobrança de impostos. A obrigatoriedade da lei foi publicada no Diário Oficial, em 16 de abril de 1941 (Estado de Minas, 10/07/1941). Em 1º de agosto, foi aprovada a portaria municipal de isenção de cobrança de impostos nos espetáculos esportivos.

Campeonato da Cidade 1940

Carlos Henrique

CAMPEONATO DA CIDADE 1940

Campanha do Cruzeiro
Turno
28/04 - Cruzeiro 3 x 1 Siderúrgica
02/06 - Cruzeiro 1 x 0 Villa Nova (Bonfim)
23/06 - Cruzeiro 2 x 2 Cam
30/06 - Cruzeiro 2 x 3 América (Alameda)
03/03/1940 - Cruzeiro 2 x 0 Sete
Returno
27/10 - Cruzeiro 2 x 3 Siderúrgica (Praia do Ó)
01/12 - Cruzeiro 6 x 0 America
08/12 - Cruzeiro 2 x 0 Villa Nova
Decisão
29/12 - Cruzeiro 3 x 1 Cam (Lourdes)
05/01/1941 - Cruzeiro 1 x 2 Cam
12/01/1941 - Cruzeiro 2 x 0 Cam (Alameda)
*O Conselho Técnico deu os dois pontos para o Cruzeiro, na derrota por 3 a 2, para o América, no turno. O alviverde escalou o atacante Picolé, que estava em situação irregular.

Classificação: 1º Cruzeiro (campeão); 2º Cam; 3º Siderúrgica; 4º America; 5º Villa Nova
*o Campeonato também teve a participação do Sete, que abandonou a disputa no turno. Seus jogos foram anulados.
Artilheiro Máximo: Niginho (Cruzeiro) com 12 gols
Campeão do Campeonato de Aspirantes: Siderúrgica
Campeão do Torneio Início: Cruzeiro

Fórmula de disputa:
Três turnos, sendo turno, returno e um turno neutro com todos os jogos disputados em Belo Horizonte em estádios neutros. Classificação definida no sistema de pontos corridos, sem acesso e rebaixamento, pois não havia Série B.

Critérios de participação: 
Clubes profissionais filiados a LFBH e inscritos no Campeonato. O Sete disputou o Campeonato como agregado

Sistema 2-3-5
Geraldo II, Caieira e Bibi (Azevedo); Souza, Juca (Carazo) e Caieirinha; Nogueirinha, Geraldino, Niginho, Carlos Alberto e Alcides. Técnicos: Bengala

Quem jogou
Alcides, Caieira, Caieirinha e Nogueirinha 10
Carlos Alberto, Geraldo II, Juca, Niginho e Souza 9
Carazo e Geraldino 6
Azevedo e Bibi 5
Geninho e Orlando 4
Dejardes 3
Geraldo 2
Calixto, Negrito, Nito, Nonô e Zama 1

Quem marcou gols
Niginho 11
Alcides 6
Nogueirinha 3
Caieira, Dejardes, Geninho e Zama 1

Paralisações do Campeonato
O campeonato sofreu várias paralisações que acabaram comprometendo a situação financeira dos clubes. Em 16 de julho, 22 jogadores mineiros foram selecionados pela FBF para treinos de observação, em Caxambu, visando o Campeonato Sulamericano, na Bolívia, que acabou cancelado. Os outros estados se recusaram a paralisar seus campeonatos para ceder jogadores para os treinos de observação.

Duas rodadas do returno foram adiadas para amistosos entre Seleção Mineira e Carioca. Os amistosos não ocorreram porque os clubes cariocas se recusaram a ceder jogadores. Na impossibilidade de enviar seu time principal a BH, o presidente da LFRJ suspendeu os amistosos. O presidente da LFBH, Saint Clair Valadares, foi chamado de incauto e ingênuo (Diário da Tarde, 14/10/1940).

Em represália, a FAMAF comunicou a FBF e a Liga do Rio, que o Campeonato não sofreria nova paralisação, em novembro, para a disputa do Campeonato Brasileiro de Seleções e que a Seleção Mineira não disputaria a competição.

Crise nos clubes
O Sete, após a derrota para o Cam, deixou o Campeonato, ainda no turno e se desligou da LFBH. América, em 2 de agosto, e o Villa Nova, em 2 de outubro, dispensarem boa parte do plantel e estabeleceram salários padrão.

Campeonato abreviado
Em 26 de dezembro, a assembleia dos clubes decidiu suprimir a disputa do turno neutro e promover a disputa do título entre os líderes da tabela, Cruzeiro e atlético, numa série decisiva


Campeão de decisões
Foi nesta decisão de título em 1940 que o Cruzeiro deu início a sua caminhada de maior vencedor de decisões de Minas Gerais. Esta também foi a primeira decisão contra o atletico, que se tornaria a maior vítima do time estrelado.

Campeonato Brasileiro
O presidente da Federação Brasileira de Futebol-FBF, JM Castelo Branco, propõe a criação do Campeonato Brasileiro em disputa da Taça Brasil. O Campeonato envolveria os campeões de cada estado (Diario da Tarde, 21/08/1940 e 13/09/1940). A Taça Brasil era um troféu colocado em disputa nos campeonatos brasileiros envolvendo clubes campeões estaduais de todos os esportes. Apenas o futebol não disputava o título brasileiro de clubes.

Novas leis do esporte
Em 21 de setembro, uma nova lei de transferência foi criada para indenizar os clubes em 50% das luvas pagas ao jogador em caso de transferência no decorrer da temporada. Antes o jogador é quem arcava com a multa. As entidades esportivas passariam a ter a nomenclatura uniformizada (Diário da Tarde, 13/11/1940) e foi crida a Lei de Regulamentação do Esporte (Diário da Tarde, 21/11/1940)

Nova entidade para os esportes amadores
Em 31 de maio foi criada a Federação Mineira de Futebol Amador-FMFA. Com a medida o Departamento Amador de Futebol-DAF e a Associação Mineira de Esportes Geraes-AMEG foram extintas. Também foi criada a Liga Extra de Futebol Amador.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Campeonato da Cidade 1939

Carlos Henrique

CAMPEONATO DA CIDADE 1939

Campanha do Cruzeiro
Turno
28/05 - Cruzeiro 1 x 0 Villa Nova
04/06 - Cruzeiro 0 x 1 Cam (Lourdes)
18/06 - Cruzeiro 0 x 3 América (Alameda)
26/06 - Cruzeiro 2 x 3 Siderúrgica (Praia do Ó)
03/03/1940 - Cruzeiro 2 x 0 Sete
Returno
13/08 - Cruzeiro 0 x 2 Cam
27/08 - Cruzeiro 2 x 2 Villa Nova (Bonfim)
03/09 - Cruzeiro 1 x 1 Siderúrgica
24/09 - Cruzeiro 1 x 2 América (Alameda)
08/10 - Cruzeiro 3 x 0 Sete (Lourdes)
Turno Neutro
31/12 - Cruzeiro 2 x 2 América (Lourdes)
18/01/1940 - Cruzeiro 2 x 1 Sete (Lourdes)
21/01/1940 - Cruzeiro 1 x 5 Siderúrgica (Alameda)
15/02/1940 - Cruzeiro 0 x Wo Villa Nova (Alameda)
18/02/1940 - Cruzeiro 2 x 0 atletico (Alameda)
*O Cruzeiro venceu o Sete por 2 a 1, em 9 de julho, pelo turno, no Barro Preto, mas o jogo foi anulado por ter excedido o tempo regulamentar em 12 minutos. A partida foi remarcada pela Federação, após o turno neutro, em 3 de março de 1940. Por ter escalado Niginho e Geraldino, que não estavam inscritos no turno do Campeonato, o Cruzeiro perdeu os pontos da vitória por 2 a 0.

Classificação: 1º Cam (campeão); 2º America; 3º Siderúrgica; 4º Villa Nova; 5º Cruzeiro; 6º Sete
Artilheiro Máximo: Arlindo (Siderúrgica) com 9 gols
Campeão do Campeonato de Aspirantes: Siderúrgica
Campeão do Torneio Início: Cam
Campeonato da Cidade Extra: America

Fórmula de disputa:
Três turnos, sendo turno, returno e um turno neutro com todos os jogos disputados em Belo Horizonte em estádios neutros. Classificação definida no sistema de pontos corridos, sem acesso e rebaixamento, pois não havia Série B.

Critérios de participação:
Clubes profissionais filiados a LFBH e inscritos no Campeonato. O Sete disputou o Campeonato como agregado

Sistema 2-3-5
Geraldo II, Caieira (Canário) e Mantovani; Souza, Juca e Caieirinha; Carlos Alberto, Ceci, Niginho, Geninho e Alcides. Técnicos: Nello Nicolai (Bengala)

Quem jogou
Caieira e Souza 14
Caieirinha, Carlos Alberto e Juca 13
Alcides, Canário e Geninho 12
Geraldo II 11
Ceci 8
Niginho 7
Calixto e Geraldino 5
Bengala e Orlando 4
Azevedo, Dejardes, Geraldo e Laerte 3
Alencar, Djalma e Mantovani 2
Berto, Bibi, Lund, Nogueirinha e Nonô 1

Quem marcou gols
Niginho 4
Caieira, Carlos Alberto, Geninho e Geraldino 3
Alcides e Ceci 2
Caieirinha e Orlando 1
Gol contra: Mascote (Siderúrgica) 1

Siderúrgica e atletico: os maiores devedores
Em maio, o Instituto de Aposentadoria e Pensão dos Comerciários-IAPC, denunciou os clubes de não recolherem as contribuições. Eram descontados 6% dos salários dos jogadores profissionais, que estavam incluídos na categoria de “artistas”. Atlético e Siderúrgica eram os que mais deviam.

Cruzeiro X URT

Carlos Henrique

CAMPEONATO MINEIRO
05/06/1977 - Cruzeiro 4 x 0 URT (Mineirão)
22/06/1977 - Cruzeiro 3 x 0 URT (Mangueirão, Patos de Minas)
23/08/1992 - Cruzeiro 2 x 0 URT (Mangueirão, Patos de Minas)
24/09/1992 - Cruzeiro 4 x 0 URT (Mineirão)
05/04/1995 - Cruzeiro 3 x 0 URT (Mineirão)
31/05/1995 - Cruzeiro 2 x 1 URT (Mangueirão, Patos de Minas)
11/02/1996 - Cruzeiro 2 x 0 URT (Independência)
14/04/1996 - Cruzeiro 4 x 1 URT (Mangueirão, Patos de Minas)
19/05/1999 - Cruzeiro 1 x 0 URT (Mineirão)
23/05/1999 - Cruzeiro 4 x 1 URT (Mangueirão, Patos de Minas)
25/03/2000 - Cruzeiro 2 x 0 URT (Independência)
21/05/2000 - Cruzeiro 4 x 0 URT (Mangueirão, Patos de Minas)
07/03/2001 - Cruzeiro 2 x 1 URT (Mangueirão, Patos de Minas)
16/03/2003 - Cruzeiro 4 x 0 URT (Mangueirão, Patos de Minas)
13/03/2004 - Cruzeiro 2 x 0 URT (Mineirão)
19/03/2005 - Cruzeiro 1 x 1 URT (Mangueirão, Patos de Minas)
12/03/2006 - Cruzeiro 2 x 0 URT (Mineirão)
26/01/2014 - Cruzeiro 1 x 0 URT (Mineirão)
29/03/2015 - Cruzeiro 2 x 0 URT (Mangueirão, Patos de Minas)
31/01/2016 - Cruzeiro 0 x 0 URT (Mineirão)
18/02/2017 - Cruzeiro 1 x 1 URT (Mangueirão, Patos de Minas)

AMISTOSOS
24/05/1961 - Cruzeiro 3 x 0 URT (Patos de Minas)
13/06/1966 - Cruzeiro 4 x 0 URT (Patos de Minas)
19/05/1985 - Cruzeiro 2 x 0 URT (Mangueirão, Patos de Minas)
23/07/1985 - Cruzeiro 0 x 1 URT (Mangueirão, Patos de Minas)
14/06/1986 - Cruzeiro 0 x 0 URT (Mangueirão, Patos de Minas)

RETROSPECTO GERAL
Total de Jogos: 25
Vitórias do Cruzeiro: 20
Empates: 04
Vitórias do URT: 01
Total de Gols: 64
Gols do Cruzeiro: 57
Gols do URT: 07

QUADRO DE GOLEADORES (Jogos oficiais)
4 gols: Marcelo Ramos, Roberto Gaúcho (Cruzeiro)
3 gols: Edson, Muller, Nelinho (Cruzeiro)
2 gols: Djair, Eli Carlos, Geovanni, Neca, Palhinha, Paulo Isidoro II, Zé Roberto (Cruzeiro)
1 gol: Alex, Aristizábal, Anderson, Cleison, Cris, Deivid, Dinei, Elber, Gilmar, Guilherme, Joel, Kelly, Marcus Vinícius, Marquinhos, Maurinho, Missinho, Ramon Ábila, Ricardo Goulart (Cruzeiro)
1 gol: Adauto, Gabriel Ceará, Inca, Pael, Pedrinho Rocha, Sandro (URT)
Gol Contra: Canário (URT)

Artilharia em amistosos
Marco Antonio (Cruzeiro) 2
Dirceu, Dirceu Lopes, Edu Lima, Elmo, Paulo, Tostão (Cruzeiro) 1
Edmilson (URT) 1
Gol Contra: Canibal (URT)