terça-feira, 14 de março de 2017

Campeonato Mineiro 1997

Time do Cruzeiro que derrotou o Villa Nova na final histórica do Estadual de 1997, no Mineirão: Dida, Vítor, Célio Lúcio, Gottardo, Fabinho e Nonato; Ricardinho, Marcelo Ramos, Palhinha, Elivelton, Cleison.

Carlos Henrique

Primeira Fase
Turno
02/02 - Cruzeiro 1 x 0 Montes Claros (Horto)
08/02 - Cruzeiro 3 x 1 Mamoré (Waldomiro Pereira, Patos de Minas)
16/02 - Cruzeiro 0 x 0 Guarani (Farião, Divinópolis)
19/02 - Cruzeiro 4 x 4 Villa Nova (Mineirão)
23/02 - Cruzeiro 0 x 3 América (Horto)
27/02 - Cruzeiro 1 x 2 Valério (Israel Pinheiro, Itabira)
02/03 - Cruzeiro 2 x 0 Uberlândia (Horto)
06/03 - Cruzeiro 2 x 2 Caldense (Horto)
09/03 - Cruzeiro 3 x 1 Democrata (Mamudão, Gov. Valadares)
13/03 - Cruzeiro 0 x 2 Social (Mineirão)
16/03 - Cruzeiro 1 x 1 Atlético (Mineirão)
Returno
23/03 - Cruzeiro 0 x 1 Montes Claros (José Maria Melo, Montes Claros)
30/03 - Cruzeiro 3 x 1 Mamoré (Mineirão)
02/04 - Cruzeiro 3 x 0 Guarani (Horto)
06/04 - Cruzeiro 1 x 2 Villa Nova (Bonfim, Nova Lima)
13/04 - Cruzeiro 2 x 1 América (Mineirão)
16/04 - Cruzeiro 1 x 1 Valério (Mineirão)
19/04 - Cruzeiro 2 x 1 Uberlândia (Parque do Sabiá)
27/04 - Cruzeiro 1 x 1 Caldense (Ronaldão, Poços de Caldas)
01/05 - Cruzeiro 2 x 2 Democrata (Mineirão)
04/05 - Cruzeiro 2 x 1 Social (Lamegão, Ipatinga)
11/05 - Cruzeiro 0 x 0 Atlético (Mineirão)
Classificação da 1a fase: 1o Atlético; 2o Caldense; 3o Social; 4o Cruzeiro; 5o Montes Claros; 6o Valério; 7o América; 8o Villa Nova; 9o Democrata-GV; 10o Guarani; 11o Mamoré; 12o Uberlândia

Quartas-de-final
18/05 - Cruzeiro 2 x 1 Montes Claros (José Maria Melo, Montes Claros)
21/05 - Cruzeiro 2 x 0 Montes Claros (Mineirão)
Semifinal
31/05 - Cruzeiro 3 x 2 América (Mineirão)
08/06 - Cruzeiro 0 x 1 América (Mineirão)
Final
15/06 - Cruzeiro 1 x 2 Villa Nova (Bonfim, Nova Lima)
22/06 - Cruzeiro 1 x 0 Villa Nova (Mineirão)

Classificação Final: 1o Cruzeiro (Campeão); 2o Villa Nova*; 3o Social; 4o América; 5o Atlético; 6o Caldense; 7o Montes Claros; 8o Valerio; 9o Democrata-GV; 10o Guarani; 11o Mamoré**; 12o Uberlândia**
*campeão do interior
**rebaixados
Artilheiro Máximo: Rinaldo (América) com 12 gols

Critérios de participação
Disputado pelos 11 primeiros colocados do Campeonato de 1996, mais o Social, de Coronel Fabriciano e o Montes Claros, campeão e vice da 2ª Divisão de 1996. O Rio Branco de Andradas anunciou, na reunião dos clubes, em 2 de dezembro de 1996, a sua saída do Campeonato Mineiro por problemas financeiros. A Federação Mineira não promoveu nenhuma equipe da segundona e o Campeonato voltou a ter 12 participantes.

Sistema de disputa
Dividido em quatro fases. Na primeira os 12 times se enfrentaram em turno e returno. Os 8 melhores na classificação geral avançaram para as quartas de final e foram distribuídos em quatro chaves. Os confrontos seguiram a ordem de classificação: 1º x 8º; 2º x 7º; 3º x 6º e 4º x 5º. A fase foi disputada em duas rodadas (mata-mata) e o 1º ao 4º colocados jogaram com a vantagem de dois resultados com o mesmo saldo de gols. Na semifinal os quatro classificados foram divididos em duas chaves. Os pontos da primeira fase e das quartas foram somados para definir os confrontos entre 1º x 4º e 2º x 3º. A semifinal foi disputada em duas rodadas (mata-mata) e o 1º e 2º colocados jogaram com a vantagem de dois resultados com o mesmo saldo de gols. Na final os times disputaram o título em duas rodadas (mata-mata) e o 1º colocado geral (somando os pontos de todas fases) jogou com a vantagem de dois resultados com o mesmo saldo de gols.

Sistema 4-4-2:
Dida, Marcos Teixeira, Rogério, Célio Lúcio e Nonato; Fabinho (Reginaldo), Donizete Amorim (Palhinha), Cleison, Elivelton (Luiz Fernando); Alex Mineiro, Da Silva (Reinaldo). Treinadores: Paulo Autuori (18), Wantuil Rodrigues (6), Oscar (4)

Quem jogou
Jogos
Atletas
20
Donizete Amorim
18
Alex Mineiro, Da Silva, Dida
17
Elivelton
16
Célio Lúcio, Cleison
14
Fabinho, Marcos Teixeira
13
Nonato, Palhinha
12
Luiz Fernando, Reginaldo
11
Reinaldo, Rogério
10
Vítor
9
Gelson, Harlei, Léo, Ricardinho
8
Ailton, Gottardo, Tico
7
Dé, Gustavo
6
Dante, Macalé, Odair
5
Cléber Lima, Donizete, Geovanni, João Carlos, Maguinho, Ricardo
4
Alex Carvaline, Alexandre, Marcelo Ramos
3
Dênio
2
Feijão, Jean, Zelão
1
Caio, Dângelo, Ivan, Rodrigo Silva, Webert

Quem marcou gols
Gols
Atleta
7
Alex Mineiro
6
Palhinha
5
Reinaldo
4
Cleison, Marcelo Ramos
3
Da Silva
2
Dé, Elivelton, Macalé
1
Ailton, Donizete Amorim, Fabinho, Feijão, Gustavo, Leo, Ricardinho, Rogério

Cotas da TV
Cruzeiro e Atlético receberam R$ 120 mil de cota pela transmissão dos jogos no estadual.

Expressinho escalado
O Cruzeiro decidiu escalar sua equipe reserva no Estadual para priorizar a Libertadores e a Copa do Brasil. Isto porque América e Atlético se recusaram a apoiar a proposta para reduzir o número de jogos do Estadual. No entanto, com a eliminação do time estrelado, logo na primeira fase da Copa do Brasil, os titulares disputaram o Estadual a partir da 13a rodada.

O clássico é pop
O Cruzeiro disputou o clássico da última rodada do turno da primeira fase com os reservas e, por isso, apenas 41.545 torcedores compareceram ao Mineirão, sendo a maioria atleticanos esperançosos por uma goleada. A expectativa alvinegra foi reforçada com o anúncio da estreia do atacante Evair. No entanto, se não fosse um erro da arbitragem, o expressinho cruzeirense teria saído com a vitória. O árbitro Raimundo Menezes anulou um gol legítimo de Cleison alegando uma falta do atacante Reinaldo sobre o goleiro Taffarel, que não existiu. Apesar de inexpressivo, as cenas deste clássico foram eternizadas no clipe da música "Uma partida de futebol", do grupo de reggae Skank. Como a música fez muito sucesso, as imagens deste jogo foram repetidamente exibidas na televisão brasileira, enquanto durou a era dos videoclipes musicais.

Decisão inédita e maior público da história
Foi a primeira vez que a decisão do título estadual foi disputada entre uma equipe da capital e outra do interior na era Mineirão (inaugurado em 1965). O segundo jogo da final, no Mineirão, entre Cruzeiro e Villa Nova, teve o maior público da história do futebol mineiro. O borderô do jogo registrou a presença de 132.834 torcedores. Foram vendidos 74.857 bilhetes mais 2.775 entradas do setor de cadeiras cativas. O restante do público (55.202) foram de mulheres e crianças de até 12 anos que entraram gratuitamente. A mesma promoção de entrada gratuita para mulheres e crianças até 12 anos havia sido feita no clássico contra o Atlético, pelo 2o turno do Campeonato de 1996. No entanto, o público presente foi de 55.650 torcedores.
Postar um comentário