segunda-feira, 6 de março de 2017

Copa do Brasil 1991

O time estrelado posa pra foto, no Pacaembu, antes do jogo contra o Corinthians. Em pé: Nonato, Balu, Ademir, Paulão, Adilson e Paulo César; agachados: Heyder, Luís Fernando, Marcinho, Boiadeiro e Charles.

Carlos Henrique

PRIMEIRA FASE,
CRUZEIRO 1 x 1 ABC (RN)
14/02/1991 (Qui-21h) - Machadão (Natal, RN)
Renda: Cr$ 7.131.800,
Arbitragem: João Venceslau Santos/PE (Elias Domício e Alberto Batista)
Gols: Silvinho (pênalti) 17’; Charles (pênalti) 40’
Cruzeiro: Paulo César, Balu, Paulão, Adilson e Nonato; Ademir, Boiadeiro e Luís Fernando; Quirino (Andrade), Charles e Marcinho. T: Evaristo de Macedo
ABC: Pedrinho, Lóti, Arimatéia, Toté, Quinho, Nito, Silvinho (César), Odilon, Zinho, Washington Lima (Menon), Rildo. T: Givanildo
CA: Balu, Boiadeiro (C)
CV: Adilson (C); Quinho (A)

CRUZEIRO 4 x 0 ABC (RN)
21/02/1991 (Qui-21h30) - Mineirão
Ingressos: 8.560 (Cr$ 4.245.000,)
Arbitragem: Antônio Pereira Silva/GO (José Oliveira e Ângelo Antônio Ferrari/MG)
Gols: Paulão (falta) 14’; Heyder (falta) 35’; Charles (pênalti) 47’; Luiz Fernando 77’
Cruzeiro: Paulo César, Balu, Paulão, Andrade e Nonato; Ademir, Boiadeiro (Rogério Lage) e Luís Fernando (Celso); Heyder, Charles e Paulinho. T: Evaristo de Macedo
ABC: Pedrinho, Lóti, Arimatéia, Toté, Quinho, Lourival, Silvinho, Odilon, Zinho (Valdo), Washington Lima, Rildo (Menon). T: Givanildo
CA: Boiadeiro, Charles, Paulinho (C); Washington Lima, Silvinho (A)
CV: Andrade (C)

OITAVAS DE FINAL
CRUZEIRO 1 x 3 CORINTHIANS
22/03/1991 (Sex-17h) - Pacaembu
Ingressos: 2.156 (Cr$ 2.488.000,)
Arbitragem: José Mocellin/RS (César Carrasco/RS e Geraldo Zimmer/RS)
Gols: Neto (falta) 11’ (0-1); Heyder 38’ (1-1); Neto (falta) 70’ (1-2); Neto 89’ (1-3)
Cruzeiro: Paulo César; Balu, Paulão, Adilson e Nonato; Ademir, Boiadeiro e Luís Fernando; Heyder (Ramon Menezes), Charles e Marcinho (Luís Gustavo). T: Evaristo de Macedo
Corinthians: Ronaldo; Giba, Marcelo, Wilson Mano e Jacenir; Márcio, Tupãzinho e Neto; Fabinho, Paulo Sérgio e Mauro (Édson Pezinho). T: Nelsinho
CA: Paulão (Cru); Paulo Sérgio, Marcelo Djian (Cor)
CV: Boiadeiro (Cru); Márcio (Cor)

CRUZEIRO 0 x 1 CORINTHIANS
11/04/1991 (Qui-18h30) - Horto
Ingressos: 9.373 (Ncz$ 7.659.400,)
Arbitragem: Renato Marsiglia/RS (Manoel Pandolfo/RS e César Carrasco/RS)
Gol: Adilson (contra) 79’
Cruzeiro: Paulo César; Zelão, Paulão, Adilson e Dinho; Ademir, Luis Fernando e Ramon Menezes (Marcinho); Heyder, Charles e Luís Gustavo. T: Benecy Queiroz.
Corinthians: Ronaldo; Giba, Marcelo, Guinei e Jacenir; Jairo, Wilson Mano (Ezequiel) e Neto; Fabinho, Tupãzinho e Paulo Sérgio. T: Nelsinho
CA: Adilson, Paulo César (Cru); Wilson Mano, Jairo, Tupãzinho (Cor)

Classificação Final: 1o Criciuma-SC (Campeão)*; 2o Grêmio; Eliminados na semi-final: 3o Coritiba; 4o Remo; Eliminados nas quartas: 5o Botafogo; 6o Goiás e Corinthians; 8o Vitória; Eliminados nas oitavas: 9o Vasco; 10o Sport; 11o Atlético-MG; 12o Caxias-RS; 13o Paysandu; 14o Santa Cruz; 15o Cruzeiro; 16o Fluminense-BA; Eliminados na 1a fase: 17o CSA; 18o Atlético-PR e XV de Piracicaba; 20o Goiânia; 21o Ceará e Confiança; 23o Ubiratan-MS; 24o ABC e Rio Branco-AC; 26o Rio Negro-AM; 27o Colatina-ES; 28o Sampaio Corrêa-MA; 29o Auto Esporte-PB; 30o União-MT e Gama-DF; 32o Caiçara-PI
*classificado para a Taça Libertadores de 1992
Artilheiro Máximo: Gérson (Atlético-MG) com 6 gols

Critérios de participação:
Participaram os 23 campeões estaduais de 1990, mais os vice-campeões dos 9 estados com melhor média de público em seus campeonatos (Bahia, Goiás, Minas Gerais, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo).

Sistema de disputa:
Dividida em 5 fases eliminatórias. Os 32 clubes foram distribuídos em 16 chaves com duas equipes cada. Em cada fase, as equipes se enfrentavam em dois jogos dentro de suas respectivas chaves, sendo cada um em seus respectivos mandos de campo. Avançava para a próxima fase a equipe que somasse o maior número de pontos dentro de sua chave.
Critérios de desempate pela ordem: maior saldo de gols; maior número de gols marcados no mando de campo do adversário; decisão por tiros livres na marca do pênalti.

Bola parada e crise
Foi a primeira Copa do Brasil disputada simultaneamente com os jogos do Campeonato Brasileiro. O time estrelado passou bem pelo ABC na primeira fase, mas nas oitavas de final foi eliminado pelo Corinthians. As cobranças de falta do meio-campista Neto desequilibraram o primeiro confronto contra os paulistas nas oitavas de final. O camisa 10 marcou dois gols, neste tipo de lance, que deixou o Corinthians com uma boa vantagem para o segundo jogo. O treinador Evaristo de Macedo não suportou as pressões dos corneteiros, após 8 jogos pelo Campeonato Brasileiro, em que o time estrelado somou apenas 9 pontos. Ele pediu demissão às vésperas do segundo jogo contra o Corinthians, no Horto, e foi substituído pelo supervisor Benecy Queiroz. Em crise, o Cruzeiro não conseguiu reverter a vantagem corinthiana em casa e acabou sofrendo outra derrota sendo eliminado, mais uma vez, nas oitavas de final.
Postar um comentário