sexta-feira, 10 de março de 2017

Em 1993 o Cruzeiro venceu o Galo e deu o título estadual ao América

O atacante Cleison marcou o gol da vitória sobre o Galo que deu o título estadual ao América. Na foto, o atacante comemora o gol da vitória sobre o Grêmio na final da Copa do Brasil

Carlos Henrique

O América deve ao Cruzeiro um título estadual em sua história. A generosidade cruzeirense aconteceu na última rodada do Campeonato Mineiro de 1993. O título foi disputado num quadrangular final que também contou com as participações de Atlético e Democrata de Valadares. Sem chances de chegar ao título, o time estrelado foi ao clássico contra o Atlético, no Mineirão, pela última rodada, em 27 de junho, com a missão de evitar a conquista do rival. Galo e América somavam 7 pontos e, caso terminassem com a mesma pontuação, ainda teriam que decidir o título em um jogo-extra. O América fez a sua parte e derrotou o lanterna Democrata por 4 a 1, em Valadares, mas só comemorou o título, após o Cruzeiro vencer o Galo por 1 a 0, mesmo com um jogador a menos em campo.

O Cruzeiro entrou no quadrangular ostentando o título da Copa do Brasil que conquistou três dias antes da estreia contra o Democrata. As convocações do lateral Nonato e do meio-campista Boiadeiro para a Seleção Brasileira, os desfalques por contusão e o cansaço com a maratona de jogos resultaram numa participação irregular nos jogos das finais do Estadual. O empate sem gols contra o América, pela quarta rodada, no Mineirão, significou a despedida estrelada. Com três pontos em quatro jogos ficou a três dos líderes América e Atlético. Não havia combinação de resultados nas rodadas seguintes que fosse capaz de beneficiar o Cruzeiro. Assim bastou cumprir a tabela e lutar pela vaga de vice, que significava uma das vagas para a Copa do Brasil do ano seguinte.

Na última rodada, o América foi a Valadares enfrentar o lanterna Democrata. Para o alviverde não bastava vencer, mas torcer pelo Cruzeiro contra o Galo. No segundo tempo, o alviverde vencia o Democrata por 3 a 1, em Valadares, quando o árbitro Lincoln Afonso Bicalho deu cartão vermelho ao volante Ademir, do Cruzeiro, no Mineirão. O clássico seguia empatado sem gols, mas com um jogador a mais em campo, as chances do Galo de vencer o jogão e chegar ao título aumentaram. No entanto, aos 79 minutos, o ponta esquerda Roberto Gaúcho lançou a bola para a área e o atacante Cleison desviou de cabeça para o fundo das redes: Cruzeiro 1 a 0. O América estava a 10 minutos de soltar o grito de campeão, após 22 anos de jejum! O jogo em Valadares já havia terminado, mas os americanos tiveram que aguardar o final do clássico. Logo após o gol de Cleison, o árbitro distribuiu mais quatro cartões vermelhos: Éder e Roberto Gaúcho, pelo Cruzeiro e Orlando e Paulo Roberto, pelo Atlético. As expulsões tornaram o jogo mais aberto e, portanto, mais imprevisível. O Cruzeiro administrou o placar, venceu o Galo e os americanos puderam, enfim, comemorar o seu título.

CRUZEIRO 1 x 0 ATLÉTICO
27/06/1993 - Campeonato Mineiro - Mineirão
Ingressos: 27.860 (Cr$ 3.651.000.000,)
Arbitragem: Lincoln Bicalho (José Eugênio e Marco Antônio Martins)
Gol: Cleison 79’
Cruzeiro: Paulo César, Rogério Lage, Robson, Célio Lúcio e Genilson; Douglas, Ademir e Luiz Fernando (Ramon Menezes); Edenilson Pateta (Éder), Cleison e Roberto Gaúcho. T: Eduardo Amorim
Atlético: Luis Henrique, Luciano, Orlando, Ryuler e Paulo Roberto; Valdir, Toninho Pereira e Alessandro (Reinaldo); Sérgio Araújo, Ailton e Bira (Gilson). T: Nelinho
CA: Ademir (C)
CV: Ademir, Roberto Gaúcho/80’, Éder/80’ (C); Orlando/80’, Paulo Roberto/80’ (A)
Postar um comentário